Mensagem de Hoje do Missionário

O QUE TODOS DEVEM CONFESSAR - 05/01/2020

Digam, agora, os que temem ao SENHOR que a sua benignidade é para sempre.

 

Salmo 118.4

 

Nesse versículo, o escritor se dirige aos tementes ao Senhor, para informar que chegou o tempo de participarem da esperança bondosa, pois não há mais diferença entre gentios e judeus. Afinal, a obra realizada por Jesus foi completa. Fomos libertos das garras do inimigo e conduzidos ao Reino do Filho de Deus – de amor, paz e segurança. Estamos livres de fato!

Dos dois povos o Altíssimo fez um só, e todos são membros do Corpo de Cristo. O que as Escrituras falam a respeito de quem aceitou Jesus como Salvador é a mais pura verdade. No momento em que O recebemos como Senhor, tornamo-nos filhos de Deus (Jo 1.12). A partir de então, cessou o trabalho divino e começou o nosso: usar tal autoridade para nos moldar à imagem do Redentor.

Para os salvos não há mais condenação (Rm 8.1), pois foram recebidos pelo Filho de Deus como novas criaturas – as coisas velhas já passaram (2 Co 5.17). Agora, firmados em Cristo, eles estão na presença do Todo-Poderoso, vivendo para Ele. Outro fato importante é que fomos salvos como qualquer pessoa, porque não há distinção entre os remidos do Senhor.

Não há diferença entre os primeiros discípulos do Mestre e nós, que chegamos neste tempo ao Reino dos Céus. A unção também é a mesma, por isso podemos viver ao lado do Salvador e utilizar Seu Nome para vencer qualquer operação do reino maligno e todo sofrimento que se instalou em nossa mente, nosso corpo e espírito. Cada cristão é uma nova criatura.

Na verdade, os salvos têm muito mais condições de se tornar vencedores do que os israelitas do passado. Embora fossem o povo de Deus, eles não eram santificados pelo sangue de Cristo, o qual ainda não tinha nascido naquele tempo. Na conversão, o nosso espírito não é melhorado nem curado, e sim recriado em Jesus, sendo justificados por Ele.

Hoje, a lei dos mandamentos está desfeita e não mais nos domina (Ef 2.15). Nada pode nos declarar culpados, porque fomos feitos justiça de Deus em Cristo (2 Co 5.21). Com isso, temos autoridade para vencer qualquer operação do reino infernal. Mas vale lembrar que o Salvador disse que, sem Ele, nada podemos fazer (Jo 15.5). O simples ato de O aceitarmos nos redime da queda e dos embaraços causados pelo pecado do Éden.

A obra realizada pelo Filho de Deus em nosso favor durará para sempre. Ela é a benignidade tão exaltada nesse Salmo. Agora, sendo a viva esperança de Deus, devemos agir sem causar escândalo a ninguém. Temos de estar dispostos a cumprir tudo o que o Pai nos der como missão. Confesse que a esperança bondosa do Senhor dura eternamente!

Em Cristo, com amor,

R. R. Soares

ORAÇÃO DE HOJE
 

RECEBA AS MENSAGENS EM SEU E-MAIL